segunda-feira, 20 de abril de 2009

Trinca Não Ganha Jogo.



Arte de: Siron Franco

Lorenzo Ganzo Galarça


Na infância, sustentava tripés. Conheci a amizade em rodas de três pessoas. Meus amigos eram ímpares. Um era pouco, dois era bom, mas me acostumei a viver exageros. Atravessei correndo os limites do conforto.

Somente hoje reconheço o desafio. Ter vivido aquelas amizades, em grupos de três, não foi nada fácil. Os números ímpares não foram feitos para a sociedade. O que não pode ser divido igualmente entre as partes não merece respeito. Vivemos um comunismo invisível. Os restaurantes nunca pensaram em três amigos indo jantar. As mesas, ou são para dois, ou para quatro. Três é um número doído. Desconstroi a confiança. Amizades ímpares iniciam-se pressupondo traições.

A vida foi feita sob medida para casal. Adão e Eva não sofreram infidelidades. A limitação poupa a surpresa. Os amantes são excluídos de um casamento, por uma simples questão de praticidade. Morro de medo de manage à trois.

Minhas maiores dores foram durante essas trincas. Poderia dizer traumas para proteger-me do futuro, mas seria um desrespeito ao meu passado, que tanto me ensina. Meus antigos amigos são meus tutores de hoje. A lembrança constrói o presente.

Voltando às dores, elas foram terríveis. Nenhuma criança deve ser exposta à solidão de um assento vazio ao seu lado. Saídas de campo são assassinas. Perigosas, pois se escondem atrás da máscara de um passeio. Diversão por quebrar a rotina.

Os ônibus de viagens foram meus cobertores para as lágrimas. Minha criança ficou chorando na estrada. Ainda desejo visitar cada um desses assentos em que passei sozinho, sem um ombro para me escorar, sem outra bunda para me desacomodar, reivindicar espaço. Ficava só, com espaço suficiente para deitar-me. A liberdade ofendia.

Eu sozinho era ímpar, dolorido, desconfortável. Aprendi com a vida a multiplicar-me. Hoje, sou dois, quatro, dez, mil. Fiz par a minha solidão, quando estava a ponto de serrar a colchão de casal pela metade. Subtrai-se pela incapacidade de somar. A não aceitação gera retrocesso; desconforto, progresso.

Casei comigo, o que será um perigo quando dividir-me em uma mulher.