segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

-Quem é? (Sou eu).


Arte de: René Magritte

Lorenzo Ganzo Galarça

Meu coração bate à porta do meu peito. Ritmado, é como se pergutasse se ainda estou aqui. A campainha distrairia o sono. O coração bota as cartas debaixo da porta.

Viver é estar recebendo visitas de nós mesmos.

O "pulsar" é a nossa metade que ainda não se apresentou ao gramado. É o nosso “vir-a-ser”. Não está dentro da boca, articulando nossos discursos, mas sim na varanda da casa. Espiando, ao contrario, pelo olho de gato.

Ele entra quando a chuva aperta.

Sempre haverá o quarto estreito com os colchões azuis, a poeria de outras roupas e a coberta de lã.

A fechadura muda constantemente. O “vir-a-ser” é atento às mudanças. Separa os brinquedos que mais gosta para brincar no banco de trás do carro, durante a viajem.

E é de caminhão que levo minha bagagem. Minhas tralhas e estradas vão pingando e escorrendo pelo caminho.

Sou um homem feito de tinta.

Não apago meu passado.
Eu diluo noutra cor.

Um comentário:

e.guedes disse...

oi, lorenzo
estou lendo e relendo isso
diluindo noutra cor

tenho um outro canto de escritos agora www.entreosdedos.blogspot.com

um beijo e saudade da

eli