sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Giz de cera.


Foto nossa de 3 anos atrás.

Lorenzo Ganzo Galarça

Minha irmã é minha filha por antecipação.

Ela reconhece a potência de ser criança; Não quer apressar o presente. Não se envergonha das palavras erradas e nem do inglês inventado. Ela se orgulha por não trair sua natureza.

Alicia ama seus bichos de pelúcia mesmo na ausência, por causa da rinite.

Minha irmã não deixou para apaixonar-se por sua infância depois da maturidade. Alicia vive a sua criança todos os dias. Minha irmã se vive a cada instante.

Tem medo de largar os gibis, porque sabe que começará a ler jornais.

Ela me chama de mano e eu respondo a todos os chamados. É o meu melhor personagem. O qual, talvez mais me esforçe em viver.

Ser o mano de minha irmã é uma dádiva. Não é atribuição sanguínea. Minha irmã me ama pelos meus allstar's furados, minhas flanelas xadrez e as meus acordes de violão.

Ela me puxa pela manga da camisa e me pede para tocar Adriana Calcanhoto! Essa menina vai longe! A Alicia me mostra, com sua suavidade, quando não estou sendo lúdico. Ela me beija por cada texto escrito, mesmo dizendo que não entende uma só palavra. Eu acho que é mentira.

Minha irmã! Deveriam criar um feriado com essa frase. “Minha irmã” é poesia total. É um rio de lágrimas de todos os tipos de choros. Minha irmã é um anjo, não tenho duvidas.

Ela é atenta aos sinais da vida. Alicia presta atenção às cores e aos sons. Ela não me chama para ver o fabuloso pôr-do-sol de Porto Alegre. Ela me convida a ver o sol, em sua mais radiante essência.

Alicia não me convida a viver os restos; ela me faz olhar o cotidiano.

Minha irmã apropriou-se da sabedoria da infância. A baixinha não entrega o alimento. Protege-se dos ataques como um bicho.

Não me preocupo com minha irmã.

Deixo com que ela se ocupe em mim.


Esse texto é a minha homenagem à pessoa que

melhor colore os meus contornos.

2 comentários:

Tiger IV disse...

Lindo.... muito lindo....
Obrigado pelas palavras... pelo conteúdo...

Beijo com carinho...

Cosmunicando disse...

acabei encontrando seu blog por causa do texto do Carpinejar. Meu sobrenome é Lorenzo, e tenho uma irmã Alicia... rs... juro!
Parabéns pelos seus textos, muito lindos.
abraço