quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Esqueçer é lembrar de viver


Arte de: Paul Klee

Lorenzo Ganzo Galarça

Faço coleção de copos.

Minha sede não sacia com um só copo d'agua sobre minha escrivaninha. Preciso de vários. Todos da casa, se possível.

Os vários copos lembram-me da minha quantidade de líquido, no corpo. Se estou hidratado, ou não.

Preciso que a vida limpe as engrenagens do meu funcionamento.

Eu duvido de mim. Não me conheço a ponto de estipular certezas, em meu corpo. Duvidar é acreditar no êxito; ter certeza, é não reconhecer as possibilidades.

As vezes, acho que sofro de pouca memória. Vivo a vida de instantes. O que passou, já não é mais de minha competência. Não enxergo o além da curva.

Anotarei a data do seu aniversário. Não será um retrocesso, mas uma evolução para o que ainda não vive em mim. Não temo o que não sou,

Eu plageio os costumes alheios.

Duvidar de mim mesmo é necessário. É a minha alavanca para a vida, é a propulsão do meu foguete!

Duvidar do que já aconteceu é apostar na inconstância da vida. O que eu digo nem sempre aconteceu, mas com certeza foi vivido. As datas não serão lembradas, mas os personagens, já são eternos.

Esqueço para poder viver novamente. Quando lembro, não reconheço. Meu passado me é estranho.

A certidão de nascimento se perdeu no bolso com as notas do mercado.

Não ponho em ordem de importância o meu primeiro beijo, não existe um espaço na estante para o primeiro poema, meu melhor amigo emaranhou-se no sorriso dos outros.

Minhas lembranças fazem fila, na memória.
A alma é comunista.

3 comentários:

Tiger IV disse...

Já falamos... mas quero que lembres disso para falarmos frente a frente...
Nada resiste a autenticidade do olhar direto...
Beijo com amor...
Teus escritos e teus pensamentos estão fantásticos...
"és meu herói"
Beijo com amor...

Cínthya Verri disse...

Ai, seu maravilhoso.
'Duvidar é acreditar no êxito.
Ter certeza é não reconhecer as possibilidades'.
Excepcional.
Que beeeeeeeeem!!!

Mari disse...

Lindo texto!

"A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas coisas boas como se fosse a primeira vez."

Friedrich Nietzsche

Te achei no blog da Cínthya...

Beijos,

Marília